O artesão

O artesão


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Fechar

Título: Plainas de piso.

Autor: CAILLEBOTTE Gustave (1848 - 1894)

Data de criação : 1875

Data mostrada: 1875

Dimensões: Altura 102 - Largura 146,5

Técnica e outras indicações: Óleo sobre tela

Local de armazenamento: Site do Museu Orsay

Copyright do contato: © Foto RMN-Grand Palais - H. Lewandowskisite web

Referência da imagem: 90EE791 / RF 2718

© Foto RMN-Grand Palais - H. Lewandowski

Data de publicação: abril de 2005

Contexto histórico

Gustave Caillebotte (1848-1894) mostra artesãos trabalhando em um apartamento burguês talvez localizado na planície de Monceau, no oeste de Paris, um dos distritos resultantes da renovação de Paris por Haussmann durante o Segundo Império.

Esta transformação arquitetônica modificou profundamente o tecido social ao compartimentar ainda mais as categorias da população: à distribuição "vertical", que atribuía os andares superiores aos criados, sucedeu-se uma distribuição "horizontal". Esta imagem fala de trabalho manual e ofícios que agora desapareceram.

Análise de imagem

A pintura surpreende pelo tema (de gente pequena por quem não costumava se interessar) e também pelo enquadramento de alto ângulo. Por meio dessas escolhas, o artista expressa seu interesse por autênticos operários-artesãos: o close-up de seus braços é o testemunho. Ele está ciente da árdua tarefa e o demonstra: trabalham de joelhos, a pele brilhando de suor. A rede de linhas geométricas envolve esses homens em um universo rígido do qual também o olhar do observador não pode escapar.

Mas mais do que compaixão, esta é uma celebração: sua musculatura poderosa é destacada pela luz pastosa. Caillebotte trata seu assunto com uma dignidade e uma sobriedade que exclui qualquer miséria. Pelo calor das cores, trata-se de expressar a nobreza da obra, a qualidade do material: a madeira. Esses homens também se apóiam - suas ações combinam, sem a necessidade de palavras. Pouco individualizados, ficam reduzidos à sua função. É antes na dimensão social que o artista insiste: esses artesãos ganham a vida penosamente com o arranjo de um interior cujo estuque e ferros forjados expressam o luxo. Eles cumprem seu destino, a que não falta grandeza.

Interpretação

Caillebotte aqui celebra a dignidade dos trabalhadores e o amor por um trabalho bem feito. Valoriza a qualidade e competência dos trabalhadores, a sua solidariedade. A beleza da pintura reflete sobre esses trabalhadores e os requalifica: convida-os a serem levados em consideração em um momento que se concentrava em círculos modestos, um olhar muitas vezes marcado por preconceitos negativos ou miseráveis.

  • naturalismo
  • operários

Bibliografia

Dominique SERRE-FLOERSHEIM, The Literary and Artistic Currents, Volume I "Período moderno 1850-1930, da imagem ao texto", Grenoble, C.R.D.P. de Grenoble-Delagrave, 1998.

Para citar este artigo

Fleur SIOUFFI, "O trabalhador artesão"


Vídeo: O Artesão